quinta-feira, agosto 24, 2006

Ella

O nome dela era Ella.
Ella Scheibe, minha bisavó.
Mulher pequenina, mas forte.
Morava em um casinha linda, estilo germânico, ao lado da prefeitura.
Mulher inteligente, foi Primeira Dama, foi mulher homenageada.
Corajosa, comprava as brigas políticas do meu bisavô e o defendia com unhas e dentes.
Colorada, desconfio que só pra implicar com minha Hildegard, minha avó, que sempre foi gremista ( tão fanática que ia ao estádio de guarda chuva pra bater nos adversários).
Ella morreu aos oitentas e muitos anos, de leucemia.
Eu, bisneta mais velha, nos primeiros anos de faculdade, a acompanhava nas intermináveis sessões de transfusões sangue. Intermináveis também eram nossas conversas nesses momentos.
Ella me chamava de menina carinhosa. Dizia: tu escolheste a profissão certa. Sabes cuidar das pessoas.
Ella falava da importância da família e do companheirismo. Dizia: Mônica, um dia tu vais precisar de alguém que te cuide. E tu vais encontrar um homem maravilhoso e forte, que vai cuidar de ti, que vai te dar colo e tu vais ficar quietinha com ele até tua dor passar.
Eu, menina nascida em berço esplendido, tinha dificuldade de entender, pois até então tinha sido poupada das agruras cotidianas.
Ella se foi em silêncio. Deixou dor, deixou saudade.
Logo depois, não por culpa d'Ella, meu mundo cor de rosa ruiu.
Culpa da maxi-desvalorização do cruzeiro.
Minha família faliu.
Tive que ser forte, porque outros não conseguiram ser.
Tive que assumir as rédeas. E então lembrava de Ella.
Tu tens que ser forte, mas vai chegar alguém que vai te dar colo.
Pois, bem!
Ainda estou tendo que acertar meus adversários com o guarda-chuva.
Ainda to tendo que ficar quietinha, bem paradinha e bem sozinha, até a dor passar.
Mas ainda acho que Ella tinha razão.
Eu desejo, com todas as minhas forças, que Ella tivesse razão.

7 comentários:

D. disse...

eu fico me fazendo de forte e 'as vezes nego colo. quando preciso mesmo, nenhum aparece...

é, minha amiga, ninguém disse que ia ser fácil.

:*

Mônica disse...

vamos fazer uma campanha pela volta do bom e belo colo. e contar pra todo mundo q ainda somos o sexo frágil.
;)

Fabrícia Reginato disse...

Oi Mônica... campanha apoiada! Quem foi que disse que eu quero ser a mulher maravilha???

Bem vinda ao meu blog!!!

Bjus!

Priscila disse...

Oi, Bibi, tu por aqui?! hehehehehe
Mô, força na peruca! Quando a gente menos espera, as coisas boas SEMPRE vêm!
beiiiijos

Mônica disse...

tu viu que chique Pri...meu blog anda muito bem frequentado.
to aqui esperando as coisas boas, tomaram que venham a galope. bj

Fabricia, seja muito bem vinda. bj

Daniel disse...

Manobrar o guarda-chuva dói, mas te deixa com o braço forte. Fica tranquila, Dona Ella era old-school e sabia das coisas.

Mônica disse...

Tu nem imagina meu biceps. Tomara Daniel, tomara.