sexta-feira, janeiro 26, 2007

Lake house



Resisti para assistir A casa do lago, embora tenha sido muito bem indicado. Não sei as razões dessa resistência. Mas acho que ainda não era a hora de eu ver.

Assisti hoje à tarde e fiquei pensando na relação entre amor e tempo. Na incapacidade que muitos de nós temos de perceber o exato momento em que o amor chega e em como resistimos a ele, talvez achando que ainda não é hora ou porque não o reconhecemos.

Entretanto, depois de muitas idas e vindas, de muitas buscas em lugares errados, em corações errados, nos damos contas que o momento era aquele e que agora, talvez, seja tarde demais.
Importante: as conclusões a que cheguei são derivadas do meu livre pensamento, que foi desafiado pelo filme. Portanto, não vão assistir procurando por essa interpretação e depois dizer que eu não tinha entendido nada. Lá, a história é diferente. ;)

5 comentários:

Pri Tescaro disse...

Mô, nem sempre sabemos quando o amor chega.... devemos apenas senti-lo..... Deixa a vida fluir, que vc saberá quando ele chegar.

Beijocas querida!!

Mônica disse...

o problema é saber quando ele chega e mesmo assim resolver q ainda não é horae E quando finalmente nos damos conta, o cavalo ja passou encilhado.

Pri Tescaro disse...

Lembre-se: tudo tem seu tempo!

Acredite!

Beijos

Mônica disse...

é...

Anônimo disse...

Amei este filme... Já assisti umas 3 vezes. Achei lindo demais... O original dele é Japônes e é lindo também. Faz a gente entender muita coisa que o americano não explica.

Simplesmente amei. Quero o Keanu para mim.

Bjssss