quinta-feira, março 08, 2007

Diário de um casamento - parte I

Meus últimos dias têm sido uma loucura! Mas estou me divertindo horrores.
Minha prima Karin ligou na metade de fevereiro me dizendo que iria casar dia 10 de março.

- O que???????? Tá louca guria, falta menos de um mês!!!
- Calma, Moka, vai ser uma cerimônia simples, no máximo 30 pessoas, só pra família.
- Ah tá, então não vai ter correria?
- Claro que não, nem vestido de noiva vou usar. Tudo muito simples.

Bem, então sem grandes preparos, resolvi usar na cerimônia um vestido mais simples. Nada de sair correndo atrás de roupa.

Sábado passado ela me liga:
- Moka, me dá o telefone do teu cabeleireiro aí, que resolvi fazer uma produção um pouco melhor. Mudei tudo. Vou fazer a cerimônia em um pequeno castelo que tem aqui (Erechim), fica no alto, é uma graça. Mas tudo bem simples.

Ontem, quarta feira, veio ela, lá de Erechim, pra fazer a prova do cabelo. Peguei-a às 18 horas no cabeleireiro:
- Moka, resolvi que quero casar de noiva!!
- Como, sua louca, e o vestido???
- Ah, amanhã de manhã vou sair pra comprar um.

Gelei.
Como aquela hora da noite, nada mais poderia ser feito, resolvemos sair as duas e ir a um bar pra comemorar.
Chegamos por volta das 19 horas. No telão o jogo do Inter. Ela colorada até em baixo d'àgua.
Não preciso comentar aqui o jogo do Inter, né?
Lá pela metade do segundo tempo começou a chegar a torcida organizada do Grêmio.
Chegaram dois, três, quatro. Carregados de bumbos, pratos, taróis.
Quando nos demos conta, estávamos literalmente ilhadas no meio da torcida.
Resultado: acabamos assistindo o jogo no meio da bagunça e quando me dei conta, até a Karin já estava cantando as músicas da torcida a plenos pulmões.
Chegamos em casa quase meia-noite, com ela cantando o hino do Grêmio.

Acordamos cedo e esperamos os pais dela virem buscá-la para levá-la de volta a Erechim. Ela ainda tinha que comprar o vestido.

Ela saiu daqui e fiquei pensando. Mas e eu? Aquele vestido não vai ficar legal.
Sai voando de casa, procurei a minha costureira e disse que precisava de um vestido de festa para sábado de manhã. Ela topou fazer.
Comprei o tecido (lindoooo), pedi pra estilista desenhar. Resolvi que teria um bordado. Corri atrás do material pra bordar. Levei na costureira, tirei as medidas.
Lembrei que o sapato, a bolsa e os acessórios que eu tinha não iam combinar.
Saí voando de novo. Comprei os sapatos do meu sonho, brincos e anel magníficos.
Cheguei em casa ao meio dia, tomei um banho rápido, fiz algumas coisa na internet e 13 horas estava na faculdade dando aula.
Saí de lá quase 20 horas, voltei à costureira pra provar o vestido (que já está quase pronto e praticamente perfeito) e acabei de chegar em casa.
Ufaaaaaaaaaaaa!!
Amanhã dou aulas o dia inteiro (manhã, tarde e noite).
E estou pronta pros próximos capítulos desse casamento.
Espero que a noiva sossegue e não invente mais nada até sábado.

Mas, o que mais me deixa feliz, é que ela tá feliz. E muito.

2 comentários:

Moni disse...

Bá, que correria... Mas tudo vai dar certo e depois tu vai nos contar como foi o casório.
Parabéns pela prima, que ela seja muito mais feliz do que já está.
E aproveita a festa lá...

Beijos

Mônica disse...

obrigada Moni. Conto tudo sim. ;)