quarta-feira, maio 09, 2007

Golpe de vista


Ela iria casar depois da formatura. Sempre morou em Passo Fundo, mas estudava em São Leopoldo. Faltando alguns meses para terminar a faculdade ela engravidou. Naquela época não era admissível casar grávida. Seus pais não aceitariam.
Assim eles resolveram casar antes, no meio do ano.
Ele continuou morando em Passo Fundo, afinal já iniciava sua vida profissional. Ela optou por continuar os estudos. Voltava para casa todo o final de semana.
Uma sexta à noite perdeu o ônibus e teve que vir bem mais tarde. O marido tinha convidado o irmão e o sobrinho para jantar. Como ela não chegou, jantaram, beberam e a criança adormeceu na cama do casal.
Como já era tarde, ela não chegava, o irmão resolveu ir para casa e deixou o menino dormindo com o tio.
Ela chegou de madrugada. Entrou no apartamento e encontrou a mesa ainda com os restos dos jantar e duas taças de vinho. Estranhou o fato e ficou imagindo quem jantara com o marido na sua ausência.
Sem fazer barulho, foi ao quarto e surpreendeu-se ao ver o marido deitado ao lado de alguém. Estava escuro e ela só via os vultos.
Ficou indignada: como ele ousara levar outra pra sua casa, beber o seu vinho e ainda dormir na sua cama.
Grávida, sensível e cansada, resolveu ir pra casa da mãe. Ao entrar no elevador pensou: ah não, eu quero ver a cara dessa mulher. Quero que vejam que eu vi.
Voltou enlouquecida, acendeu a luz e gritou. Quando viu, o vulto ao lado do marido era o sobrinho de 6 anos. Desfeita a confusão, só restou a história divertida para contar.

Ela me contou essa história esses dias ao jantarmos. Uma grande amiga.
A conclusão a que ela chegou: se não tivesse voltado naquele momento, nunca iria acreditar que quem dormia ao lado do marido era o sobrinho. Nem se ele jurasse, nem que o irmão confirmasse. Afinal, os homens se protegem e ela tinha visto com os próprios olhos. O casamento teria acabado naquele momento.

Moral da história: não acredite em tudo que você vê. Sempre dê uma segunda olhada.
;)

4 comentários:

Paty disse...

Oi MÔ!!!

Sabe que sou mais ou menos como a tua amiga, tipo, conversar antes de explodir... tem dado certo!

Bjin pra ti!

Mônica disse...

Não Paty..ela não ia conversar, a intenção era dá um pau nos dois mesmo..rssss.

Clari Ro. disse...

A gente sempre pensa o pior, né?
:-)

Mônica disse...

sempre clari, sempre.