terça-feira, setembro 25, 2007

Fantasmas, feridas e anjos

Não sou uma mulher medrosa. São poucos os medos que tenho.
Não tenho medo de fantasmas.
Só não gosto deles. Não gosto quando eles surgem e me fazem perder o sono. Não gosto quando eles cutucam minhas feridas que estão cicatrizando. Não gosto quando eles não me deixam seguir em frente e me aprisionam nas suas correntes.
Estou odiando esse fantasma que está na minha cabeça agora e não me deixa dormir. Não gosto desse que as 3 horas da madrugada teima em ficar assombrando meus pensamentos. Ele está fazendo feridas antigas sangrarem. Ta me dizendo que não tenho mais chances. Que não dá pra começar tudo de novo. E o pior, é que mesmo não podendo voltar atrás, ele diz que não vai me abandonar. Terei que aprender a conviver com ele. Terei que aprender a dormir com o barulho do arrastar das suas correntes.
Queria que ele silenciasse. Queria que ele voltasse para as profundezas do meu inconsciente, onde ficou escondido por tanto tempo. Queria saber porque ele voltou.Queria suturar essa ferida. Queria que ela fechasse de vez. Queria que nenhum fantasma a fizesse sangrar de novo.
Queria dormir. Muito. Queria acordar muito tarde. Tão tarde que o fantasma já tivesse deistido de mim. Queria que ele trocasse de alma para assombrar.
Queria dormir e só acordar com sentimentos novos. Liberta de sentimentos antigos, de fantasmas antigos.Queria dormir com os anjos, como os anjos. Queria acordar com os anjos. Os do tipo bonzinho. To cansada de anjos maus. Queria poder escolher meus anjos.
Queria dormir com os anjos e sonhar com o amor. Queria um dia dormir com o amor e sonhar com os anjos.

4 comentários:

~*Vica*~ disse...

Tem que matar bem morto. Daí não tem fantasma. Grita pra ele: go to the light! Beijos!!

Mônica disse...

o problema dos fanasmas é que eles já estão mortos vica.

Márcio disse...

Cobra?
Tem medo de cobra?

Mônica disse...

tenho márcio. medo de cobras e de pererecas.