sábado, fevereiro 23, 2008

Pais e filhos ou vice-versa?

Tenho saudades da minha infância, quando podia correr para os meus pais em qualquer adversidade. Tenho saudades da minha adolescência quando qualquer erro meu ou qualquer necessidade era suprida ou corrigida por eles. Tenho saudades do tempo em que qualquer problema financeiro era resolvido pedindo dinheiro para o meu pai.

Na minha vida isso acabou muito cedo. Não porque não tenho mais pais. Os tenho sim, aqui comigo, graças a Deus. Mas, por uma série de circunstâncias, bem no início da minha idade adulta, os papéis na minha casa se inverteram. Eu virei mãe e eles os filhos.

E isso por um lado me fez amadurecer muito rápido. Fez-me compreender que o dinheiro do meu pai não brotava do bolso dele, então se eu preciso de dinheiro eu tenho que fazer por merecê-lo. E sei o quanto é difícil isso. Não tenho mais um colo e meus pais não têm mais condições de resolver os meus problemas.

Portanto minha filha vá à luta!!! Aprendi a resolver sozinha os meus problemas. E talvez por isso, para mim, seja tão complicado pedir ajuda. E quando o tenho que fazer, sinto-me tão envergonhada.

Por outro lado, acho que a falta desse colo paternal e maternal me deixou muito carente. Às vezes sinto que não tenho pra onde correr. E tenho vontade de fugir.

Queria que o tempo voltasse atrás. Queria ter aquele pai forte, poderoso e até mesmo temido. Queria que ele me dissesse o caminho a percorrer, as escolhas que tenho que fazer. Queria que ele não tivesse doente. Queria que ele não fosse cego, nem cardíaco, nem diabético. Queria meu super-herói de volta.

Queria minha mãe maternal de volta. Sem esquecimentos, sem confusões. Queria colo para poder chorar. Queria que ela me ensinasse a ser filha e me fizesse querer ser mãe. De crianças. Porque só aprendi a ser mãe de adultos. Fui mãe dos meus pais e dos meus irmãos.

Eu só queria ser filha de novo. E que eles fossem pais. Só isso!

5 comentários:

Marilac disse...

Oii Mônica,
Post intenso esse!
Entendo bem esse seu desejo...
Tem dias que preciso de colo tb.
As vezes nem que fosse só por alguns momentos para podermos recuperar as forças seria tão bom se pudessemos ser novamente criança sem todas as preocupações ,decepções e responsabilidades da idade adulta.

Como isso não é possivel, o que podemos fazer ( estou aprendendo..) é preencher a vida com amigos queridos , amar os pais sabendo que eles fizeram o melhor que podiam, viver os momentos de felicidade, priorizar um tempo para cuidar de vc e não deixar que os medos e fantasmas lhe deixem paralisada com medo do futuro..
Segura na mão de Deus,e por favor não tenha vergonha de pedir ajuda quando for preciso...

Grande abraço,
Marilac

Marilac disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mônica disse...

também tenho feito isso Marilac. O post foi só um desabafo. As vezes é preciso dar vazão aos sentimentos. obrigada pelo carinho de sempre. beijo enorme

joao grando disse...

Eu também passei um pouco por isso de ser pai dos meus pais. E sabe o que me parece? Que os outros acham bonito esse amadurecimento precoce e que a gente mesmo reconhece o quanto fez bem... mas lá no fundinho (ou nem tão fundo) tem uma coisa de preferir não ter amadurecido e ter sido por mais tempo (ou quem sabe para sempre) ingenuamente imaturo.
Desabafar é preciso e faz bem.
A única coisa que lhe digo é que seus "filhos adultos" talvez tenham em ti este colo que às vezes lhe falta. Algumas pessoas se doam para a vida, mas às vezes sentem falta de algumas doações.
Mas como tu falaste, é um desabafo. Não tem o que acrescentar.
Desabafaste, que é bom, e é só.

Mônica disse...

Me faz falta o colo sim.
;)