quarta-feira, maio 27, 2009

Amigo

Tenho muitos amigos, em graus variados de intimidade e de convivência. Tenho amigos de trabalho, tenho amigos sociais, tenho amigos de verdade.

E eu tenho um amigo especial. Especial no sentido de que é uma pessoa tão presente na minha vida, que às vezes ultrapassamos até as medidas de uma boa convivência.

Ele entrou na minha vida em 2001, momento complicado para a vida de ambos. Ele tentando se firmar profissionalmente e eu tentando me firmar emocionalmente. Ele conseguiu, eu já avancei, mas acho que ambos tivemos uma grande parcela de responsabilidade na conquista alheia.

Nossa amizade já passou por várias fases. Com maior ou menor intimidade. Já ultrapassamos limites e já colocamos limites. Ele já me mandou ficar fora da vida dele e eu fui. Fui e eu voltei.

E assim nós seguimos, com meses de silêncio, com períodos de proximidade.

Costumo dizer que temos famílias praticamente gêmeas, tal o grau de semelhança entre problemas.

Damos conselhos pessoais e profissionais mútuos, compramos as mesmas brigas, compartilhamos sonhos parecidos e temos muitas diferenças de gostos. Principalmente com relação a relacionamentos e futebol.

Brigamos com frequência. Nos aproximamos com frequência. Somos cúmplices em grande parte de nossas semelhanças.

Sabemos boa parte dos segredos um do outro. Talvez até eu conheça mais os dele do que eu permita que ele conheça os meus.

Nos falamos constantemente. Tem dias que tenho a sensação que ele está sentado ao meu lado de tanto que parecemos próximos. Ás vezes tenho a sensação de que um muro apareceu do dia para a noite entre nós tamanha a distância que se estabelece. Mas nesses oito anos viramos especialistas em derrubar paredes.

Às vezes ele é a última pessoa que falo antes de dormir, e a primeira que falo quando acordo, embora muitos e muitos quilômetros nos separem fisicamente.

E hoje ele está ficando mais velho. O que me dá medo, porque tenho certeza de que quanto mais velho ele fica, mais ranzinza ele fica. Mas eu sempre vou aturar.

Porque eu te amo meu amigo. Eu admiro a tua competência, as tuas ideologias, as tuas crenças, as tuas paixões, a tua hombridade, o teu jeito "família" de ser e até o teu mau gosto em futebol, porque é preciso muita coragem para ser colorado. Eu te  gosto do  jeito que é. Do jeito que  é a nossa relação é. E sempre será, eu tenho certeza.

Feliz aniversário, meu amigo mais do que querido. Seja feliz, tenha sucesso, realize teus sonhos e desejos e conta comigo sempre. Pra toda vida.


2 comentários:

idéias&idéias disse...

A d o r e i !!!!
beijos....

Mônica disse...

obrigada Agnes querida. Saiba que tudo que está escrito ali é absolutamente verdadeiro.